Capela, Paróquia e agora Santuário


A história da Paróquia Santa Rita, e agora também o Santuário Santa Rita de Cássia, tem seu início na década de 80 quando foi instalada Capela Santa Rita de Cássia, a qual fazia parte da Paróquia Cristo Ressuscitado. O pequeno templo recebia uma assembléia ainda insipiente, mas já fervorosa, para as poucas missas e celebrações que haviam.

texto
Vista parcial dos fiéis durante a celebração da Novena de Santa Rita.

Mas alguns anos depois, exatamente no dia 25 de março de 2001, o então arcebispo de Maringá Dom Murilo Krieger criou a Paróquia Santa Rita de Cássia e, ao mesmo tempo, confiou a mesma aos cuidados da Congregação das Escolas de Caridade (Padres Cavanis), nomeando Pe. Edmilson Mendes CSCh como primeiro Pároco.

Em 2011, depois de uma caminhada de paróquia, das ampliações físicas da Igreja, do centro de apoio e a construção da Gruta, foi solicitado junto ao Arcebispo Metropolitano Dom Anuar Battisti, pelo segundo Pároco, Pe. Rogério Diesel CSCh a criação do Santuário Santa Rita de Cássia, tal solicitação foi aprovada e assim, através de decreto do Arcebispo, que transcrevemos em parte a seguir, no dia 18 de setembro de 2011 foi criado o Santuário Santa Rita de Cássia.

texto
Devota em momento de oração na gruta de Santa Rita.


Quem somos

Somos a Paróquia Santa Rita de Cássia, uma comunidade Paroquial da Arquidiocese de Maringá.
Como tal, somos parte da Instituição eclesial (Igreja) chamada de Arquidiocese. Temos uma organização própria que nos possibilita realizar uma missão singular e alcançar objetivos próprios, num território definido e num contexto particular mas em sintonia com a Igreja universal.


Como estamos organizados

Fazemos parte de uma Região Pastoral chamada Centro Sul e estamos organizados em Comunidades (capelas), que por sua vez são divididas em setores. Cada Comunidade possui uma organização baseada em dois pontos comuns para toda Paróquia: pastoral e econômica.
Essa organização exige pessoas que assumam a responsabilidade de acompanhar e liderar grupos ou equipes a serviço da evangelização na comunidade.
Elas formam o Conselho Pastoral Paroquial e o Conselho de Assuntos Econômicos.





Conselho de Pastoral Paroquial (CPP)


O que é?

Um grupo representativo de pessoas, que, sob a coordenação do Pároco, organiza, anima e faz caminhar a pastoral em toda a Paróquia.

 

Tarefa

1. Atuar na contínua reflexão sobre a vida e a realidade paroquial, capacitando-se com os meios necessários e instrumentos propícios e eficientes que o auxiliam a atingir o fim desejado.

2 . Elaboração e execução de um planejamento visando:

- a capacitação em todos os níveis da comunidade;

- a eficácia da ação pastoral como integração dos recursos e atividades humanas;

- a transformação da realidade.


Caracteristicas do CPP

- estrutura organizada funcional;

- sinal representativo da comunhão e da unidade de toda a comunidade local;

- organismo de participação responsável à vida da comunidade e através dele a missão da Igreja.


 

Finalidades:

Para realizar o seu serviço Pastoral, o Conselho Paroquial procurará sempre:

- Fortalecer a comunhão e a co-responsabilidade entre as Comunidades, Equipes Pastorais ou de serviços;

- Animar, acompanhar e avaliar os trabalhos Pastorais e a caminhada das Comunidades;

- Examinar e buscar soluções para os problemas que surgirem nas Comunidades, dando atenção especial ao crescimento da vida comunitária e às necessidades da evangelização;

- Encaminhar e executar as decisões e orientações da Assembléia Paroquial

- Encaminhar a execução das diretrizes e orientações do Regional e da Arquidiocese;

- Promover Cursos de Formação e intercâmbio de experiências Pastorais;

- Prestar um serviço dinâmico de Comunicação entre as Comunidades e com os outros níveis da Igreja e da sociedade;

- Convocar, definir o número de participantes e preparar a Assembléia Paroquial;


 

Funcionamento:

- O Conselho Paroquial reúne-se ordinariamente pelo menos, uma vez por mês, em dia fixo e extraordinariamente quando for convocado pela Equipe de Coordenação;

- As reuniões só funcionam com a presença da maioria dos seus membros;


Critérios para a formação ou constituição do Conselho de Pastoral Paroquial (CPP):

A - Participam do CPP:

- Os coordenadores de Comunidades;

- Um representante de cada Pastoral, Movimento, ou Serviço, organizados a nível Paroquial;

- Representantes da Equipe Administrativa;

- As religiosas que fazem pastoral nas Comunidades;

* O CONSELHO PASTORAL PAROQUIAL prestará serviço por um período de dois anos podendo ser reeleito por mais dois anos.


B - Equipe de coordenação do CPP:

A Paróquia terá uma Equipe de Coordenação composta pelo Pároco e outras pessoas que representarão a ação pastoral paroquial. Os membros dessa coordenação deverão fazer parte do CPP.


C - Atribuições da coordenação:

- Preparar e coordenar as reuniões do Conselho Paroquial;

- Encaminhar e coordenar a execução das diretrizes ou decisões da Assembléia, do Conselho Paroquial e dos outros níveis da Igreja;

- Viabilizar e acompanhar a realização das atividades programadas para a Paróquia;

- Registrar em Ata a participação, conteúdo e encaminhamentos das Reuniões do Conselho Pastoral Paroquial e da Assembléia Paroquial;


D - Conselho Assuntos Econômicos (CAE) - Equipe Administrativa:

A Paróquia terá uma Equipe Administrativa composta pelo Pároco, tesoureiros(as) das Comunidades e o tesoureiro (a) paroquial.

A Equipe Administrativa da Paróquia cuidará do Patrimônio e da administração dos bens segundo as exigências das leis civis e canônica e, ainda conforme as orientações da Equipe Administrativa da Diocese;

A Equipe Administrativa, em harmonia com a Equipe de Coordenação, deve desempenhar suas tarefas sob supervisão do Conselho Paroquial;

Um representante da Equipe Administrativa será membro nato do Conselho Paroquial;

A Equipe Administrativa prestará serviço por um período de dois anos podendo ser reeleita por mais dois anos.


E - Funções da equipe de coordenação do Conselho Paroquial:

O Presidente do Conselho Paroquial é o Pároco:

- Como sinal de unidade e de paz, o Pároco é o principal servidor, animador, coordenador da Pastoral Paroquial, de acordo com as leis do Direito canônico e as orientações da Diocese;

- Convocar e presidir as Reuniões do Conselho Paroquial e da Equipe Administrativa;

- Convocar e presidir as Assembléias Paroquiais ordinárias ou extraordinárias;

O Secretário(a):

- Elaborar e ler a Ata de cada Reunião;

- Secretariar as Reuniões;

- Elaborar relatórios e outros documentos;

- Conservar em dia a correspondência enviada e recebida;

- Conservar em dia o arquivo.


F - Funções dos Conselheiros Paroquiais:

- Participar das Reuniões do Conselho Pastoral Paroquial;

- Tratar com poder de decisão todos os assuntos que forem propostas nas Reuniões do Conselho Paroquial;

- Apresentar nas Reuniões do Conselho Paroquial as necessidades, problemas, queixas, anseios, sugestões das Comunidades e das pessoas;

- Cooperar com o Pároco e com o Conselho Pastoral Paroquial em tudo o que for útil para o bom desempenho da pastoral na Paróquia;

- Assumir as tarefas e serviços que lhes forem confiados;

- Não podendo comparecer a uma Reunião o Conselheiro(a) justifica-se oportunamente;

- Promover a dignidade da pessoa, especialmente, através da acolhida e orientação; das iniciativas voltadas para os mais pobres e excluídos; da prática do diálogo e da recíproca compreensão entre as pessoas e as diferentes Comunidades.

- Renovar a Comunidade, especialmente, através do esforço em criar condições melhores para que as pessoas possam viver relações sadias e humanizadoras; da educação ao relacionamento solidário e fraterno;

- Colaborar na construção de uma sociedade solidária, especialmente, através de ações de assistência social e de combate para a superação da miséria e da fome; da colaboração com grupos e instituições da sociedade civil; da valorização do voluntariado; do aprofundamento do conhecimento da realidade; da atuação política cristã.





texto